26/05/2019
Home / Bebê  / Alimentação: o melhor para o seu pequeno.

Alimentação: o melhor para o seu pequeno.

Hoje o SOSMAMMYS em parceria com a nutricionista Luana Marques tem a alegria de apresentar uma serie de matérias sobre a melhor refeição para o seu filho. O intuito será apresentar o melhor café da manhã, almoço e jantar para

Alimentação o melhor para o seu pequeno

Hoje o SOSMAMMYS em parceria com a nutricionista Luana Marques tem a alegria de apresentar uma serie de matérias sobre a melhor refeição para o seu filho. O intuito será apresentar o melhor café da manhã, almoço e jantar para o seu pequeno. Iremos dividir por fases da criança para melhor compreensão e melhor entendimento.

+Saiba quando congelar a comida do seu filho.

No primeiro episódio da série, “Alimentação: o melhor para o seu pequeno”, vamos conversar com a Luana sobre o melhor café da manhã para o seu filho, dividido em fases, e com dicas durante a conversa. 

O café da manhã é considerado uma das mais importantes refeições do dia. E não é à toa: enquanto dormimos passamos algumas horas em jejum e, ao contrário do que se pensa, também gastamos energia durante o sono para que nossos órgãos permaneçam em funcionamento.  

O café da manhã é a hora de repormos nossas energias. E quem não gosta de um café da manhã saboroso para começar o dia bem? Porém, é preciso atenção nos alimentos ofertados às crianças nessa refeição tão gostosa do dia.  

0 a 6 meses 

Para os bebês de 0 a 6 meses de idade, a mamãe não deve se preocupar em ofertar alimentos, pois o leite materno é rico nos nutrientes necessários para o bebê. A recomendação é que a alimentação nesse período seja aleitamento materno exclusivo.  

6 meses a 1 ano 

Dos 6 meses adiante, a introdução alimentar já pode começar a ser feita, sempre respeitando o desenvolvimento do bebê.  

Dos 6 aos 12 meses, o leite materno deve ser ofertado em livre demanda e complementado com uma papa de fruta. O ideal é que se ofereça um tipo de fruta diferente por dia para que, dessa maneira, a criança possa conhecer os alimentos e se adaptar aos novos gostos.  

Após os 12 meses, a fruta pode ser ofertada em pequenos pedaços que sejam fáceis de deglutir e não necessariamente em papa, associando com o leite e introduzindo um cereal ou tubérculo, como a aveia ou a batata doce, por exemplo. É importante não adoçar os alimentos com açúcar, a fim de trabalhar a adaptação da criança aos sabores. O mel, devido ao risco de contaminação pela bactéria do botulismo, não pode ser usado no primeiro ano de vida, período este em que a defesa das crianças ainda não está completamente desenvolvida.   

partir de 1 ano 

A partir do primeiro ano, é interessante ofertar um café da manhã completo, com alguma fonte de cálcio (queijos, leite, iogurtes, lácteos no geral), uma fruta (fácil de mastigar ou na forma de suco) e uma fonte dos chamados carboidratos, que podem ser pães integrais, bolachas sem recheio, bolos caseiros ou até mesmo aveia misturada nas frutas. Biscoitos recheados, refrigerantes, salgadinhos e doces devem ser evitados. 

Esses alimentos podem ser consumidos esporadicamente, mas não devem fazer parte da rotina alimentar das crianças devido ao alto teor de açúcar e gorduras, relacionado, por sua vez, ao sobrepeso e obesidade. 

Na fase escolar dos pequenos, os sucos de caixinha são bastante práticos e podem ser usados no café da manhã quando não for possível preparar o suco natural. No entanto, os pais devem estar atentos aos rótulos e ao risco de algumas marcas adicionarem açúcar a seus produtos, não sendo, dessa maneira, o produto mais indicado. Na lista de ingredientes do rótulo deve conter apenas suco de fruta integral ou suco de fruta reconstituído com o mínimo de aditivos e conservantes possíveis.  

Durante toda a infância os pais devem estimular o consumo de frutas, produtos lácteos e cereais no café da manhã. É importante, também, não pular essa refeição para que as crianças criem o hábito de fazê-la. Isso contribuirá para a fase da adolescência, período em que o café da manhã é comumente negligenciado.  

Os alimentos mais calóricos, como lanches, doces e guloseimas não são proibidos, mas seu consumo deve ser reduzido. Pode-se escolher um dia da semana para a criança comer aquele lanche ou tomar um sorvete que goste. Desde que não seja todos os dias, não fará mal em um contexto de alimentação sempre saudável.  

O importante é voltar ao padrão de uma alimentação saudável e deixar bem claro para a criança que foi uma exceção e que, por isso, não acontecerá sempre. As crianças copiam os hábitos dos adultos. Por esse motivo, os pais também devem fazer uma refeição completa no café da manhã. Assim, a criança se sentirá estimulada a ter bons hábitos e os pais conseguirão conduzir a alimentação com bastante tranquilidade. 

 

Luana Marques, nutricionista. 

Contato: Luana.Marques.14@hotmail.com

Avaliação
SEM COMENTÁRIOS

Publicar um comentário