19/11/2018
Home / Bebê  / Intolerância a lactose, os cuidados que devem ser tomados para o bem estar do seu filho.

Intolerância a lactose, os cuidados que devem ser tomados para o bem estar do seu filho.

Hoje no SOSMAMMYS vamos tratar de um mal que assombra muitas mães, a intolerância a lactose. Vamos explanar o que é? Como diagnosticar e ate mesmo sua prevenção e o tratamento mais eficaz para evitar

2 years child drinking from cup in home
Hoje no SOSMAMMYS vamos tratar de um mal que assombra muitas mães, a intolerância a lactose. Vamos explanar o que é? Como diagnosticar e ate mesmo sua prevenção e o tratamento mais eficaz para evitar desconforto e problemas mais graves no seu filhote.
 
O consumo de leite e seus derivados podem causar um grande estrago em algumas crianças, gerando dores abdominais, desconforto, diarreia e gases muito parecido com um desconforto abdominal, típico de um estômago sensível. Mas cuidado, se esse desconforto perdurar por mais de duas horas após o almoço é recomendado que procure o auxilio médico, pois pode significar que eu filhote tenha intolerância a lactose.
O que é?
Trata-se de uma rejeição do organismo a leite e seus derivados. Essa intolerância é o resultado da falta da enzima lactase, produzida no intestino delgado, que tem o intuito de decompor o açúcar do leite.
Com a falta de digestão da enzima ela chega no intestino inalterada gerando os sintomas mais comuns como: diarreia, cólicas e retenção de água no corpo.
Como diagnosticar?
Existem dois tipos de intolerância à lactose aplicada as crianças:
• Deficiência congênita da enzima: é um defeito genético raro, no qual alguns recém-nascidos, principalmente prematuros, nascem sem a capacidade de produzir lactose. Nesse caso a intolerância à lactose é permanente.
• Diminuição enzimática secundária a doenças intestinais: bastante comum no primeiro ano de vida. Nesse caso, a criança tem uma deficiência temporária da enzima, devido à morte das células da mucosa intestinal, produtoras da lactase, principalmente quando há diarreia persistente. Assim, o indivíduo fica com deficiência temporária até que essas células sejam repostas. Não existe um tempo exato para que isso ocorra, pois depende da resposta do organismo de cada pessoa.
 
Ao perceber esses sintomas(dor abdominal, náusea, gases, diarreia e cólicas) no seu filho, procure um medico ou hospital mais próximo rapidamente para ser avaliado o grau da intolerância. Vale ressaltar que o desconforto não causa riscos de vida, apenas essa sensação de mal estar que é extremamente ruim para a criança.
 
O diagnóstico pode ser feito de três maneiras:
• Teste de tolerância à lactose: a criança recebe uma dose de lactose em jejum e, depois de algumas horas, são colhidas amostras de sangue que indicam os níveis de glicose.
• Teste de hidrogênio na respiração: a criança ingere uma bebida com alta quantidade de lactose e o médico analisa o hálito da pessoa em intervalos que variam de 15 a 30 minutos por meio da expiração. Se o nível de hidrogênio aumentar significa um processamento incorreto da lactose no organismo.
• Teste de acidez nas fezes: o exame de fezes é realizado normalmente, pois se a criança ingeriu alimentos com lactose, teve os sintomas e procurou auxilio médico, é porque a lactose não foi bem digerida produzindo ácidos que podem ser detectados nas fezes.
Prevenção e tratamento
Uma vez diagnosticada a intolerância, existem métodos para evitar os sintomas. Aqui vão eles:
• Evitar o consumo de leite e seus derivados.
• Experimentar os suplementos que contem a enzima lactase, disponíveis no mercado como, Lactosil. O medicamento deve ser ingerido com laticínios.
Se você optar por eliminar os laticínios da vida do seu filho fique atenta, você ira precisar de uma dieta especial para suprir a necessidade do mineral no corpo do seu filhote, será necessário consumir principalmente vegetais de cor verde-escura como brócolis, couve, agrião, mostarda, além de repolho, nabo e peixes de ossos moles como o salmão e sardinha, mariscos e camarão.
Bônus
Abaixo segue um vídeo explicando bem como é a doença e o que ela causa no seu filhote. Fique atenta e anote as dicas para a melhor qualidade de vida do seu pequeno.

Avaliação
SEM COMENTÁRIOS

Publicar um comentário