07/12/2019
Home / Pais do Mundo  / Pais do Mundo: Meu bebê mito

Pais do Mundo: Meu bebê mito

por Fabio Fernandes Theo não canta. Até canta, mas nunca em público. Theo toca piano, mas quase ninguém sabe. Theo já tocou bateria, mas quase ninguém viu. Em compensação, o que Theo diz sobre seus ídolos, eu digo sobre ele. Theo

pais

por Fabio Fernandes

Theo não canta.

Até canta, mas nunca em público.

Theo toca piano, mas quase ninguém sabe.

Theo já tocou bateria, mas quase ninguém viu.

Em compensação, o que Theo diz sobre seus ídolos, eu digo sobre ele.

Theo é mito.

Monstro.

Tem mais de 15 mil seguidores só no canal novo dele no Youtube.

De games e edições musicadas de games.

Na matemática, nas ciências, em história, português, literatura, inglês, teatro, não é porque ele é meu filho, o cara é gênio.

Quando a Nina ensaiava seus primeiros movimentos de sofrimento na Móbile, a número 1 no planeta Terra em destruir a vida social de alunos e pais (e olha que a gente adora a Móbile) eu já dizia para diretores e coordenadores que estava preparando um ataque terrorista contra a auto-estima da escola em 3, 2, 1, Theo.

Chegaria o dia em que ele, o nosso gás sarin detonador de boletins, invadiria aquilo ali para mostrar que essa escola tá muito facinha.

9, acho é a menor média dele até hoje.

Acredite.

Vou dizer de novo: não é porque é meu filho – até porque eu, na escola? Aff.

Qualquer dia eu conto.

E se engana quem pensa que Theo estuda feito louco.

Não.

Ele presta atenção em tudo.

Ouve tudo e absorve tudo o que ouve.

Aliás, ouvir não é bem a palavra.

Ele grava conversas em terabytes mentais.

Ler também não é a melhor definição para o que ele faz com os livros.

Ele escaneia páginas com os olhos.

E sobe tudo para o hard-disc do cérebro.

A qualquer momento, em qualquer dia, aquela informação é acessada e despejada em um papo informal.

Ou numa prova.

Assim ele se formou no Ensino Fundamental ontem à noite.

Cheio de nota boa, mas, sobretudo, cercado de amigos queridos, que dividem com ele alegrias e angústias comuns nesta idade e com quem ele tem crescido muito nos últimos anos.

E rodeado pela família que o ama por ser essa pessoa rara, que ainda está para completar 15 anos, mas que desde cedo não negocia seus valores rígidos, face mais evidente do seu imenso caráter.

Ao mesmo tempo, ele é tão doce.

E meigo, carinhoso, educadíssimo, respeitador, elegante.

Nasceu em família de muitas meninas, não foi criado para ser macho bobão, brigão, pegador.

Mais fácil dizer, sua criação em nada foi diferente da que elas tiveram.

Mas não escapou de ser paparicado por todas.
Mariana, Fernanda e Nina, não aceitam, por exemplo, qualquer tese delirante em que se suponha que Theo não seja mais um bebê.

Eu próprio, confesso, nunca imaginei que fosse gostar tanto de ficar agarrado no sofá com um neném grande, forte e peludo.

Meu bebê mito.


Fabio Fernandes é publicitário e pai de Theo e Nina. 

Avaliação
SEM COMENTÁRIOS

Publicar um comentário