31/05/2020
Home / Fases  / Criança  / Catapora, rubéola e sarampo: fique atento às diferenças

Catapora, rubéola e sarampo: fique atento às diferenças

Algumas doenças que atingem as crianças em seus primeiros anos podem preocupar - e confundir - bastante os pais e mães. A catapora, o sarampo e a rubéola, por exemplo. Isso porque apresentam alguns sintomas

crianças brincando de examinar

Algumas doenças que atingem as crianças em seus primeiros anos podem preocupar – e confundir – bastante os pais e mães. A catapora, o sarampo e a rubéola, por exemplo. Isso porque apresentam alguns sintomas semelhantes, como a vermelhidão e a coceira. No entanto, são muito diferentes em alguns aspectos! É importante compreender as características de cada uma e a forma de prevenção e tratamento. Confira!

A catapora

Conhecida também pelo seu nome técnico, varicela, é uma doença infecciosa provocada pelo vírus Varicella zoster. Ele também é famoso pelo nome popular “vírus da herpes”, pois é o responsável também por essa doença em adultos. Afetando principalmente a pele e o revestimento da boca e da garganta, se caracteriza geralmente por febre e manchas ou bolhas vermelhas na pele. Depois que a erupção começa a cicatrizar, as crostas formadas em seu lugar causam coceira intensa e, muitas vezes, até dolorosa.

Para aliviar a dor e a coceira, o médico pode prescrever uma loção. No entanto, em hipótese alguma a dor deve tentar ser aplacada com aspirina. Em crianças ou adolescentes, ela pode levar à Síndrome de Reye, que é potencialmente fatal. A transmissão se dá pelo contato com outro portador do vírus, especialmente crianças.

Em um geral, é uma doença bastante comum entre crianças, e raramente ocorre entre adultos. Quando ocorre, no entanto, pode se complicar e levar mais tempo para consolidar uma recuperação.

O sarampo

É também uma doença causada por vírus e, como a catapora, é contagiosa, sendo transmitida por gotículas expelidas por tosse ou espirro de infectados. Em um geral, é identificada pela tosse, conjuntivite, febre e lesões avermelhadas pelo corpo. Afeta também o trato respiratório.

O sarampo é, de todas as doenças infecciosas da infância, a mais grave. Pode levar a complicações como pneumonia e encefalite. Os sintomas vão mudando com o passar dos dia, incluindo o inchaço dos gânglios e na diarreia, indo para quedas e picos de febre e surgindo também a erupção cutânea. Por volta de sete dias, os sintomas terão desaparecido.

A vacinação é vital, mas, caso a criança contraia sarampo, é necessário levá-la ao médico para que seja possível uma atenuação dos sintomas. Isso geralmente é feito por meio de antibióticos – em caso de complicações – ou de uma injeção de anticorpos chamada gamaglobulina.

A rubéola

Menos grave que o sarampo, a rubéola também é menos comum, mas também provocada por um vírus. Geralmente, ocasiona lesões vermelhas acompanhadas de leve febre. A coceira não é intensa como na catapora, por exemplo. De quatro a cinco dias, os sintomas já terão desaparecido, muito provavelmente.

O diferencial desta doença é o alto perigo durante a gravidez, pois pode ocasionar malformações congênitas no feto e até mesmo um aborto espontâneo. É vital que a imunização seja feita de forma adequada (veja mais sobre métodos de imunização a seguir). Como a vacina pode causar problemas ao feto, deve ser aplicada com ao menos três meses de distância da gravidez.

A prevenção

A melhor maneira de prevenir essas doenças é a vacina tetraviral. Ela protege a criança da catapora, do sarampo, da caxumba e da rubéola. Ela é feita a partir de vírus vivos e enfraquecidos das doenças citadas, juntamente de compostos como sorbitol, manitol e aminoácidos.

Ela é indicada para crianças e adolescentes com menos de 12 anos, como forma de substituição às vacinas tríplice viral (SCR) e varicela, como recomendado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). É necessário lembrar que a tetraviral não é recomendada para gestantes, pessoas com comprometimento da imunidade ou com histórico de anafilaxia pós-dose anterior. Além disso, em caso de febre, a vacinação deve ser adiada até que a temperatura volte ao normal.

A dose é disponibilizada pelo sistema público de saúde para ser aplicada aos 15 meses de idade para crianças que já receberam a primeira dose de tríplice viral. Em relação à varicela (ou catapora), é recomendado que sejam aplicadas duas doses da vacina, uma aos 12 meses e outra entre 15 e 24 meses.

Procure o posto de saúde mais próximo ou a clínica privada de sua preferência para vacinação de seu filho. Saiba mais sobre o calendário de vacinação aqui.

Avaliação
3 COMENTÁRIOS
  • Crislaine gomes 18/10/2017

    Meu filho em está com o corpo com umas bolinhas no corpo sem pus pois já tive bexiga e sei que não é mas coça não ta tendo febre ja faz uma cinco dias o que faco

    • José Kosminsky 29/11/2019

      Olá Crislaine, obrigado pelo contato.

      Te aconselhamos a procurar seu médico de confiança, que poderá proceder com o tratamento adequado.

      Desejamos pronto reestabelecimento ao seu filho

      Abraços

      SOS Mammys

  • Jose Carlos Noberto 12/08/2019

    Agora, mais do que nunca, com a alia Incidência do Sarampo, a sociedade deve ficar atenta,se informar e se organizar, para, junto com o Governo, implementar todos os meios e medidas preventivas no combate às doenças virais, especialmente o sarampo que ora se alastra por todo o País.

Publicar um comentário